Segunda, 17 de fevereiro de 2020
75 8846-8150
Saúde

25/01/2020 às 15h12

53

Rodrigo Mario

Valança / BA

Com obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demanda por
Com obras avançadas Policlinicas de Salvador atenderão regioes com maior demanda
Com obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demanda por


Com obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demaCom obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demanda




por Jade Coelho





Com obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demanda
Foto: Ascom Sesab




Com terrenos doados e construções custeadas pelo governo do estado, Salvador vai receber ainda em 2020 duas Policlínicas Regionais de Saúde. Após a entrega, a administração das unidades será de responsabilidade da gestão municipal. Os números já alcançados pelas policlínicas em todo o estado são comemorados pelo coordenador dos consórcios de saúde da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), Nelson Portela. Em todo estado já são 15 unidades que beneficiam até o momento cerca de oito milhões de baianos, total que representa, de acordo com Portela, em torno de 70% da população baiana.


 


Os equipamentos da capital ficarão nos bairros de Escada, no Subúrbio Ferroviário, e Narandiba, na região do Cabula. A Policlínica Regional de Saúde em Narandiba está com 25% de obras concluídas. A unidade de Escada está com 50% da construção executada. As informações são da Sesab. Nelson Portela ainda explica que a localização das estruturas visaram o número de pessoas que poderiam ser beneficiadas e o acesso. “São localidades que a gente entende que teriam maiores demandas, por isso a escolha dessas localidades”, disse o coordenador dos consórcios de saúde.


 


Diferente das policlínicas do interior, em que diversos municípios de cada uma das regiões beneficiadas formam um grupo para gerir as policlínicas, em Salvador a administração das unidades não será feita por um consórcio. O motivo, de acordo com Nelson, foi opção da própria gestão municipal.


 


Para a administração das unidades o estado entra com 40% do custo e os consórcios com os 60% restante, conforme Nelson Portela. O recurso empregado pelo estado com cada uma das unidades varia de R$ 800 mil a R$ 1 milhão.


 


O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, classifica as policlínicas como um “modelo que deu certo”. “Desde o início do seu mandato, o governador Rui Costa identificou um vazio assistencial entre a atenção básica e a hospitalar, compreendido pelos exames e consultas especializados. Esse vazio impactava fortemente a capacidade de resolução dos médicos na atenção primária, ou seja, nos postos de saúde. O projeto das policlínicas visou minimizar essa deficiência, implantando estruturas de grande porte em todas as regiões de saúde. Quase três anos após a inauguração da primeira policlínica, constatamos que o modelo deu certo e estamos ampliando para 24 regiões atendidas, o que será atingido ainda no final de 2020”, disse Vilas-Boas ao Bahia Notícias.


 


As policlínicas têm o objetivo de regionalizar a Saúde e desafogar a procura por atendimentos nos hospitais. As unidades oferecem atendimentos e exames em especialidades como angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastrenterologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia e obstetrícia, mastologia e urologia. As policlínicas também realizam exames como ressonância magnética com e sem contraste, tomografia com e sem contraste, mamografia, ultrassonografia com doppler, ecocardiografia, ergometria, mapa, holter, eletroencefalograma, raio-X, eletrocardiograma, endoscopia, colonoscopia, nasolaringoscopia, colposcopia, histeroscopia, cistoscopia, serviços ligados às especialidades de oftalmologia, entre outros.


 


Com obras avançadas, a próxima unidade entregue será a de Barreiras, no oeste do estado. O prefeito da cidade, Zito Barbosa (DEM), destacou que o município doou o terreno para a construção da unidade e está com boas expectativas para a inauguração e início dos atendimentos. “Esperamos que com a inauguração da policlínica possa ajudar os municípios. Nós teremos vários serviços, principalmente de imagens, são em torno de 22 serviços de imagem, é um tipo de atendimento caro, que os municípios hoje bancam, e nós vamos ter com a inauguração da policlínica essa melhoria para o atendimento da nossa população”, disse Zito.








 

Sábado, 25 de Janeiro de 2020 - 00:00



'Sou cantora do Carnavnda


por Jade Coelho





Com obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demanda
Foto: Ascom Sesab




Com terrenos doados e construções custeadas pelo governo do estado, Salvador vai receber ainda em 2020 duas Policlínicas Regionais de Saúde. Após a entrega, a administração das unidades será de responsabilidade da gestão municipal. Os números já alcançados pelas policlínicas em todo o estado são comemorados pelo coordenador dos consórcios de saúde da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), Nelson Portela. Em todo estado já são 15 unidades que beneficiam até o momento cerca de oito milhões de baianos, total que representa, de acordo com Portela, em torno de 70% da população baiana.


 


Os equipamentos da capital ficarão nos bairros de Escada, no Subúrbio Ferroviário, e Narandiba, na região do Cabula. A Policlínica Regional de Saúde em Narandiba está com 25% de obras concluídas. A unidade de Escada está com 50% da construção executada. As informações são da Sesab. Nelson Portela ainda explica que a localização das estruturas visaram o número de pessoas que poderiam ser beneficiadas e o acesso. “São localidades que a gente entende que teriam maiores demandas, por isso a escolha dessas localidades”, disse o coordenador dos consórcios de saúde.


 


Diferente das policlínicas do interior, em que diversos municípios de cada uma das regiões beneficiadas formam um grupo para gerir as policlínicas, em Salvador a administração das unidades não será feita por um consórcio. O motivo, de acordo com Nelson, foi opção da própria gestão municipal.


 


Para a administração das unidades o estado entra com 40% do custo e os consórcios com os 60% restante, conforme Nelson Portela. O recurso empregado pelo estado com cada uma das unidades varia de R$ 800 mil a R$ 1 milhão.


 


O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, classifica as policlínicas como um “modelo que deu certo”. “Desde o início do seu mandato, o governador Rui Costa identificou um vazio assistencial entre a atenção básica e a hospitalar, compreendido pelos exames e consultas especializados. Esse vazio impactava fortemente a capacidade de resolução dos médicos na atenção primária, ou seja, nos postos de saúde. O projeto das policlínicas visou minimizar essa deficiência, implantando estruturas de grande porte em todas as regiões de saúde. Quase três anos após a inauguração da primeira policlínica, constatamos que o modelo deu certo e estamos ampliando para 24 regiões atendidas, o que será atingido ainda no final de 2020”, disse Vilas-Boas ao Bahia Notícias.


 


As policlínicas têm o objetivo de regionalizar a Saúde e desafogar a procura por atendimentos nos hospitais. As unidades oferecem atendimentos e exames em especialidades como angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastrenterologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia e obstetrícia, mastologia e urologia. As policlínicas também realizam exames como ressonância magnética com e sem contraste, tomografia com e sem contraste, mamografia, ultrassonografia com doppler, ecocardiografia, ergometria, mapa, holter, eletroencefalograma, raio-X, eletrocardiograma, endoscopia, colonoscopia, nasolaringoscopia, colposcopia, histeroscopia, cistoscopia, serviços ligados às especialidades de oftalmologia, entre outros.


 


Com obras avançadas, a próxima unidade entregue será a de Barreiras, no oeste do estado. O prefeito da cidade, Zito Barbosa (DEM), destacou que o município doou o terreno para a construção da unidade e está com boas expectativas para a inauguração e início dos atendimentos. “Esperamos que com a inauguração da policlínica possa ajudar os municípios. Nós teremos vários serviços, principalmente de imagens, são em torno de 22 serviços de imagem, é um tipo de atendimento caro, que os municípios hoje bancam, e nós vamos ter com a inauguração da policlínica essa melhoria para o atendimento da nossa população”, disse Zito.








 

Sábado, 25 de Janeiro de 2020 - 00:00

'Sou cantora do Carnav



O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Big Brother Brasil

Big Brother Brasil

Blog/coluna Tudo sobre a casa mais vigiada do Brasil em um só lugar!
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Contador de visitas